Homenagem ao Mais Educação

Entrevista, Jornal, Sem categoria

O Projeto Mais Educação tem a proposta de fazer com que os alunos da Escola Municipal Darcy Ribeiro possam descobrir suas potencialidades e ainda desenvolver cada vez mais diversas habilidades. No Projeto são realizadas várias oficinas diferentes como: dança, percussão, teatro, cinema, jornalismo, arte, além de vivências esportivas.

O coordenador do Mais Educação é o educador Adinã Verdroni. Antes de ser coordenador do Projeto, ele também havia realizado aulas de teatro na escola e desde sempre foi muito dedicado ao projeto e aos alunos.

Este blog faz parte das atividades elaboradas dentro do Projeto ao longo deste ano de 2015. As entrevistas foram realizadas pelos estudantes, assim como a maior parte das postagens. Para encerrar o ano, dedicamos essa última postagem ao coordenador do Mais Educação que concedeu a seguinte entrevista: 

Como foi o projeto ao longo do ano?

R: Bastante satisfatório, pois foram desenvolvidas várias oficinas e várias atividades extracurriculares, desenvolvendo assim a autonomia, o trabalho em equipe e a melhora nas relações interpessoais (dos alunos).

Como possível manter o projeto neste ano de 2015 e qual foi a maior dificuldade?

R: Com ajuda dos profissionais que atuam nas oficinas do projeto e da secretaria municipal de educação. A maior dificuldade foi a adequação dos profissionais.

Qual é o principal objetivo do Mais Educação?

R: Proporcionar aos alunos da Escola Municipal Darcy Ribeiro o acesso a escola de período integral, proporcionando uma série de atividades extracurriculares.

Depois que os alunos entraram no projeto, eles evoluíram na escola?

R: Sim, pois é para isso trabalhamos ao longo de todo ano. Os alunos evoluíram bastante, cada um da sua maneira.

No próximo ano será realizado o projeto Mais Educação no Darcy?

R: Acredito que sim e trabalho muito para que isso aconteça. 

ALUNOS RECEBEM PALESTRA SOBRE SEXUALIDADE E DST

gravidez, Jornal, sexualidade

Os alunos do projeto Mais Educação receberam a visita de profissionais do GADA – Grupo de Amparo ao Doente de Aids – que realizaram uma palestra sobre sexualidade. Durante a palestra os alunos aprenderam como as DSTs (doenças sexualmente transmissíveis)  podem ser transmitidas e quais são as principais formas de evitar o contágio.

A atividade foi realizada pela psicóloga Paula Obice e pela agente de saúde Taiz Diniz Zappia que, além de apresentarem diversas informações sobre as DSTs, também desenvolveram dinâmicas com perguntas e respostas e uma oficina sobre o uso correto do preservativo.

A aluna Anne de 13 anos disse que antes da palestra nunca soube ao certo o que significava a sigla DSTs e que nunca imaginou que “para o sexo oral também é preciso de cuidados especiais como o uso do preservativo”, ressaltou ela. Por outro lado, o aluno Riam de 12 anos disse que “gostou da palestra porque aprendeu como fazer para ter relações sexuais com segurança.” Ele também disse que achou engraçado saber que “para realizar sexo pelo ânus, além da camisinha, o recomendado é sempre usar um gel lubrificante à base de água”, comentou o estudante.

A palestra durou pouco mais de uma hora, mas durante o período foi possível derrubar importantes mitos como a ideia dos antigos grupos de riscos. A duas palestrantes aproveitaram a oportunidade para reforçar a ideia de que o HIV e outras doenças não são exclusividade de um único grupo social e podem ser encontrados em qualquer parte.

Cicatriz parecida com a da brincadeira do abecedário.

Cicatriz parecida com a da brincadeira do abecedário.

Outro tema abordado entre os alunos foi a brincadeira do “Abecedário”. Neste jogo os alunos são desafiados a dizerem uma palavra com cada uma das letras do abecedário. Enquanto a tarefa é realizada um outro colega raspa as costas da mão daquele que está sendo desafiado. Na maioria das vezes, quem participa da brincadeira fica com queimaduras e ferimentos na mão. As palestrantes criticaram os alunos que participam desse tipo de brincadeira. Elas afirmaram que os machucados deixados nas mãos deixam os estudantes mais vulneráveis a doenças transmissíveis pelo sangue como é o caso do HIV e da Hepatite“.

Após a palestra, a agente de saúde Taiz Záppia avaliou positivamente a visita à escola e disse que “esse tipo de atividade é importante para que as crianças repassem essas informações para seus amigos e mostrem que realmente aprenderam tudo que foi dito”, afirmou a palestrante. A agente de saúde ainda reforçou que o principal recado deixado aos adolescentes é que “nem todos sabem a importância do preservativo, mas com ele é possível ter prazer e segurança realizando a prevenção de DSTs e de uma possível gravidez indesejada”, ponderou ela.

TATUAGEM É UMA MARCA

Entrevista, Jornal

Tatuagem é uma marca importante para que as pessoas possam se reconhecer e serem reconhecidas. É uma forma de deixar o corpo mais legal, entretanto é preciso cuidado onde se faz a tatoo e na escolha da arte.Para falar mais sobre tatuagem o aluno do projeto mais educação Igor Henrique Bueno entrevistou o tatuador Fernando Cesar que trabalha na área há 6 anos e é dono da Rio Preto Ink. Confira a entrevista :

-Você conhece historias de quem já se arrependeu de ter feito uma tatuagem?

Geralmente quem se arrepende é quem tatua nomes de namorado/namorada ou que procura um local pouco confiável e o resultado não sai legal como o esperado.

-Quais os cuidados necessários para cuidar de uma tatuagem?

Cuidados: 3x por dia aplicar pomada cicatrizante à base de depantenol durante 20 dias. Evitar sol na área tatuada e água do mar/piscina durante a cicatrização.

-Qual a idade adequada para fazer uma tatuagem? O que a pessoa deve pensar antes e fazer uma tatuagem?

Pela lei somente maiores de 18 anos podem se tatuar. Deve-se analisar se o local escolhido do corpo a ser tatuado não causará um empecilho ao arrumar uma profissão. Deve-se analisar também a experiência do tatuador e suas artes e também se o estúdio trabalha com materiais descartáveis e tintas regulamentadas pela ANVISA.

-Doi muito fazer tatuagem? Quais os lugares que causam mais ou menos dor?

O nível de dor depende do local do corpo a ser tatuado. Segue tabela de nível de dor

MAPA DA DOR

Uma breve apresentação e um pequeno aperitivo

Entrevista, Jornal

Este é o blog dos alunos do Projeto Mais Educação. O projeto é realizado com estudantes do ensino fundamental da escola municipal Darcy Ribeiro em São José do Rio Preto-SP.
Diz a boa etiqueta que as melhores apresentações são as mais curtas possíveis. Por isso vamos direto ao objetivo principal do blog: mostrar ao mundo quem são nossos alunos e o que eles tem feito. Abaixo a primeira edição do Jornal Interação que foi impresso e distribuído em maio desse ano.

Featured imageFeatured image

Featured imageFeatured image